Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Vida da Gorduchita

A Vida da Gorduchita

10
Ago18

Quem tem amigos, não morre na prisão

A S. anda com uma tosse chata há já uns dias. E dificuldades na respiração (cansaço rápido, será mais o termo). E ranhoca com fartura.

Fomos deixando andar... uns dias andava melhor, outros pior.

Ontem, pelos vistos, tossiu muito na sesta na escolita. Quando cheguei a casa, ela fartava-se de tossir e notava-se a respiração pesada, difícil. 

 

Já na quarta-feira tinha batido à porta da vizinha do lado, que é médica (medicina geral), para ver se podia auscultá-la. Como não tinha estetoscópio com ela, ficou de o trazer no dia seguinte (ontem) mas a verdade é que se esqueceu...

 

Tentamos falar com outro vizinho, também médico (são muitos médicos, de várias especialidades, na vizinhança, mas só temos confiança com dois ou três) mas ele não respondeu às mensagens, pelo que, empata-não empata, nos decidimos a pegar na cachopa e ir com ela às urgências.

 

Estavamos já prontos a sair quando o nosso vizinho nos liga de volta. E sorte das sortes, estava em casa (ele trabalha na zona de Vila Franca de Xira por isso, normalmente, passa a semana fora) e prontificou-se, de imediato, a ir a nossa casa ver a nossa pequenina.

 

Achou que havia já algo nos pulmões que merecia ser atacado com antibiótico. Enviou-nos a receita e já lhe começamos a fazer a medicação ontem à noite.

Poupou-nos umas duas ou três horas (entre deslocações e espera), a deslocação, a taxa de urgência...

Quem tem amigos, não morre na prisão, mesmo! 

 

Nota 1: Hoje a S. acordou bem disposta mas, claro, ficou em casa dos avós, para ficar mais resguardada. 

Nota 2: O pediatra da S. está de férias, por isso, não quis estar a incomodá-lo por telefone. Além de que há coisas que têm/devem ser avaliadas in loco.

 

 

9 comentários

Comentar post