Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Vida da Gorduchita

A Vida da Gorduchita

26
Jul18

O meu milagre

Ontem a S. teve mais uma das suas consultas de rotina, de acompanhamento no Hospital de S. João. Desta feita, de Pediatria - Neonatologia. 

 

O médico que a acompanha nesta especialidade é um dos que presta serviço na Unidade de Cuidados Intensivos de Neonatologia e, como tal, acompanha tantos outros casos similares (uns mais que outros).

 

À entrada da consulta, percebi que o/a paciente anterior era um pequenino bebé, ainda com suporte de oxigénio. Foi algo que receei que fosse acontecer à S., na altura que estava para ter alta, porque ela parecia não se aguentar sem o apoio do tubinho de oxigénio e isso já não era motivo para a manter internada. Felizmente, na reta final, e quase sem se estar a contar, começou a conseguir respirar sozinha, sem ajuda, e pudemos levá-la para casa sem esse "atranquilho".

 

À conversa com o médico, diz ele que têm agora na Unidade um bebé que nasceu com 410g, às 23 semanas. Que ainda baixou de peso para as 300 e qualquer coisa, mas que já tinha recuperado o peso.

Perguntei se estava com boas perspetivas... ele torceu o nariz. Não o disse "preto no branco", mas entendi que as expectativas de sobrevivência eram muito baixas... e que a ocorrerem, seria com mazelas...

 

Fiquei a pensar naquilo... nos dois casos...

E ali, mais uma vez, consciencializei-me que tenho em casa um milagre. Mesmo tendo mais 2 semanas de gestação e mais peso quando nasceu, a S. é um milagre da ciência e da natureza, com o dedo de Deus.

20140714-171448 - Sara 011.jpg

 A S., no dia em que nasceu.

 

Ter sobrevivido, atendendo às condições de base e ao que passou, foi um milagre.

Não ter mazelas da prematuridade extrema (até à data, pelo menos, nada foi identificado), é um milagre.

Ser completamente saudável, reguila e faladora, é um milagre.

 

E, por isso, serei sempre grata: à vida, aos profissionais do São João, ao nosso Sistema Nacional de Saúde, a Nª Srª de Fátima e a Deus.

 

 

 

P.S: Apesar de a espera ter sido longa, a consulta em si foi relativamente rápida e saímos de lá com o que já sabíamos: que está tudo bem! :)

P.S2: Estou a torcer por e a enviar energia positiva para aquele bebé e para os seus pais. Que tenham também o seu milagre!

16 comentários

Comentar post