Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Vida da Gorduchita

A Vida da Gorduchita

10
Jul18

Notas Soltas

* No sábado, eu e a S. fomos usufruir da piscina de um vizinho. Estava uma bela tarde de sol e estivemos cerca de 45 minutos na água. O meu instinto dizia-me que devíamos ter saído mais cedo, porque estavamos sem proteção na cabeça, mas ela estava divertir-se tanto que fui prolongando a permanência na água.

Resultado: no domingo quando acordou queixava-se de dores de cabeça. A meio da tarde, estava com 38,4º. Apesar do paracetamol, à noite (nem 5h depois do medicamento), estava com 39,1º. Toca a tomar ibuprofeno. Até hoje de manhã, a temperatura nunca baixou por mais de 8h (o melhor que se conseguiu) e atingia sempre os 39º. 

Além da febre, volta e meia ia-se queixando que lhe doía as pernas e nota-se que anda bastante mais carente.

Hoje, depois de uma noite em que suou imenso, parece estar a conseguir passar o dia sem que a febre dê sinal. Espero que assim se mantenha.

E valha-nos os avós, que sem eles, estes dois dias teriam sido bem mais complicados.

 

* Numa procura por outras coisas, encontrei, no armário do quarto de hóspedes, 4 blusas de verão que já quase nem me lembrava que tinha (desvantagens de ser desorganizada). Esta "descoberta" veio dar um novo alento ao meu guarda roupa, que está mesmo, ainda assim, a precisar de um investimento (ou de um emagrecimento...).

 

* Já está imensa coisa adiantada para a festa da S. embora ainda esteja a magicar alguns detalhes para a decoração da mesa e do espaço. Mas já encomendei os acepipes, já contratamos uma animadora para as pinturas faciais, já temos os convidados quase todos confirmados, já reservei o dia anterior para adiantar tudo e já comprei os ingredientes que me faltavam para o que vou preparar em casa. 

Ainda não lhe compramos presente e, com a idade que tem, isso já não lhe passa despercebido, pelo que temos mesmo de tratar disso.

 

Sinto, a cada dia, que preciso dar uma volta à minha vida. Dois posts que li nestes últimos dias - este este - lembraram-me, como se eu não soubesse, que a escolha é minha e o caminho tem de ser trilhado por mim. Estar à espera que as coisas aconteçam... bem, é como querer acordar magra: Não vai acontecer!!!

Ainda não sei bem o que vou fazer nem como, mas prometo-vos que vou, aos poucos, começar a tomar rédeas à minha vida e introduzir as mudanças que quero. Só assim poderei esperar ver resultados.

 

17 comentários

Comentar post