Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Vida da Gorduchita

A Vida da Gorduchita

26
Set18

Livros 2018 | O Fio da Navalha + Antes de Sermos Vossos + 2

 

 

A1.jpgA2.jpg

 

A3.jpgA4.jpg

 

Depois d'O Voo da Cotovia, li, praticamente de rajada, dois pequenos livros:

    * O Pai é Top, de Marco Piangers - simples e relaxado, sem lições de moral, apenas notas da vida deste homem que se maravilhou com a parentalidade.

e

    * História de um caracol que descobriu a importância da lentidão, de Luís Sepúlveda - há muito que não lia nada deste autor que tanto me encantou durante uns tempos. A dada altura, cansei-me um pouco da sua escrita, mas ao ler este pequeno livro recordei-me porque gostava de o ler. Um livro muito interessante que nos alerta para como é importante não vivermos a correr e aproveitarmos, lentamente, o que a vida nos dá.

 

Depois destes, veio a minha primeira re-leitura: O Fio da Navalha, de Sommerset Maugham.

O livro é muito bom, adorei voltar a lê-lo (muito embora tivesse sido quase como uma primeira vez... só tive luzes de já ter lido aquilo em uma ou duas passagens) mas admito que não me fascinei com ele como tinha ideia de ter fascinado na primeira vez que o li. Com outra idade (li-o inicialmente com uns 17 anos, talvez), a abordagem ao budismo e as suas lições de vida tiveram, certamente, um impacto bem diferente na minha mente.

Não obstante, é um livro que recomendo vivamente. As personagens são extraordinariamente bem construídas, o tecer da história muito bem conseguido... Não há como não ficar fascinado com Larry e o seu percurso de vida! 

 

Aproveitando o ritmo, mal terminei este, peguei em Antes de Sermos Vossos, de Lisa Wingate. Desde que li a crítica da Magda, que fiquei com o bichinho para o ler. Encontrei-o a bom preço no OLX e há já uns tempos que estava na estante a pedir para lhe pegar.

O livro é, de facto, arrebatador. Deixa-nos a pensar, faz-nos sofrer, obriga-nos a questionar a humanidade de alguns humanos. Foi inevitável, sendo mãe, sentir o coração apertado só de imaginar a dor passada por aquelas mães e pais a quem os filhos foram roubados. 

É um livro extraordinário, muito bem escrito, com uma história (quase) inacreditável. (pensar que há, neste mundo, quem seja capaz de fazer tanto mal a crianças)

 

10 comentários

Comentar post