Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Vida da Gorduchita

A Vida da Gorduchita

20
Nov18

34 dias para o Natal

A filhota já quer montar a árvore de Natal. Não seríamos os primeiros da vizinhança - já há decorações no exterior e pinheiros decorados na casa de alguns vizinhos - mas o pai da criança acha que é cedo! :D

Mas já estivemos no domingo a arrumar os brinquedos para arranjar espaço para ela (a nossa árvore só cabe num local da nossa casa, e é exatamente onde costumam estar todos os brinquedos da S.).

Pode ser que convençamos o pai a montá-la já neste próximo fim de semana! ;)

 

Santa-Christmas-Is-Coming1-567x313.jpg

 

41 dias depois, tenho apenas mais 8 presentes despachados. Faltam 14 "obrigatórios", aos quais poderão juntar-se mais uns 5.

As ideias, essas, continuam a escassear. Ajudam-me?

Vou ser mais precisa, desta vez:

  • O que se dá a um rapaz de 14 anos?
  • E a um primo de 40? E a um tio, seu pai?
  • O que hei de oferecer aos meus pais? E aos meus sogros?
  • E ao maridão?

 

19
Nov18

Sunshine Blogger Award #4

21239710_nqjLr.jpeg

A Fátima desafiou-me, eu agradeço-lhe imenso, e por isso, aqui estou eu com mais uma ronda de perguntas. Mas ficam já avisados que não vou nomear ninguém. :)

 

01. Qual o livro que mais gostaste de ler até hoje?

Tenho memória fraca e por isso, esqueço-me muito do que li, por isso, vou nomear um recente: O Voo da Cotovia, que recomendo vivamente!

Mas há outros que posso identificar, como Kafka à Beira Mar, que me abriu a janela para o mundo de Haruki Murakami, e O Homem de São Petersburgo, a minha estreia com Ken Follett.

02. Qual é aquele prato que detestas e não consegues mesmo comer?

Esquecendo coisas muito estranhas que se comem por esse mundo fora... Dispenso vísceras: tripas, fígados, corações e coisas afins!

03. Para começar mal o dia só é preciso que...

O marido me venha perguntar por roupa (se está lavada, se está passada...)! Reviro logo os olhos!

04. Para o dia virar para o positivo, basta...

A filha despachar-se rapidinho e sem birras, com aquele sorriso que lhe é muito próprio!

05. Qual o programa da tv portuguesa que mais gostas de ver?

Praticamente não vejo televisão, seja cabo sejam canais nacionais, pelo que não posso identificar nada...

06. Quando foi a última vez que fizeste um bolo?

Brownies conta como bolo? Se sim, foi no dia 10 de Novembro, para gastar uns ovos e uma tablete de Pantagruel que andavam esquecidos!

07. Gatos ou cães? 

Gosto muito de cães, mas gatos são a minha paixão. Só não tenho nenhum porque acho que a minha casa não é minimamente adequada.

08. Livro que tencionas ler até ao final do ano?

Acabar o que estou a ler - O Desafio das 100 Coisas - e depois devo pegar no Mil Vezes Adeus, de John Green, e terminá-lo antes do ano acabar.

09. Programa ideal para um dia de Inverno?

Se não estiver a chover - vestir uma roupa quentinha e passear à beira mar.

Chovendo - Lareira acesa, manta por cima das pernas, livro na mão e caneca de chá ao lado. Em silêncio e sozinha.

10. Quando foi a última vez que foste ao cinema?

Foi há tanto, tanto tempo que nem me lembro! É que nem sei dizer que filme fui ver...

11. Um plano que queres muito concretizar em 2019

Agarrar a minha felicidade.

 

16
Nov18

Livros 2018 | Prematuros

Amanhã, dia 17 de Novembro, celebra-se o Dia Mundial da Prematuridade. Já neste blogue falei deste dia aqui, aqui e aqui

Sei bem que a prematuridade é uma realidade que não é relevante para a maioria das pessoas. Também não o era para mim antes de ser tia de dois prematuros. E passou a ser verdadeiramente importante com o nascimento da minha prematura extrema.

Por isso, tive interesse em ler o livro "Prematuros" de João Pedro George.

Este livro, escrito pelo pai de uma menina nascida prematura, com 670g, parte de entrevistas a profissionais de saúde neonatal e de visitas a três hospitais e a uma maternidade (todos na grande Lisboa), bem como de entrevistas a diferentes pais que passaram pela experiência da prematuridade, para descrever o quotidiano intenso, dramático e profundamente humano das unidades de cuidados intensivos neonatais.

 

Acho que só quem passou pelo mesmo consegue sentir o aperto no coração ao ler algumas das passagens do livro, por se sentir a reviver tudo aquilo por que passou na UCIN, seja de que hospital for.

Mas o livro traz luzes, para qualquer pessoa, do que é aquele processo, de como é tão diferente de "simplesmente esperar que ganhem peso para ter alta", das diferenças de abordagem de cada unidade de saúde (fiquei quase com pena de não ser de Lisboa para poder ter tido a minha filha na Maternidade Alfredo da Costa). 

 

Acima de tudo, abre os olhos para o impacto na saúde pública e na sustentabilidade do SNS, que a prematuridade tem.

Um prematuro pode apresentar sequelas para a vida, decorrentes do nascimento antecipado. Das mais simples, como ligeiros problemas de visão, às mais complexas e graves, com consequências não só para o próprio e para a sua família, mas também para a comunidade em que se insere e instituições que os acolhem e deles cuidam.

Um prematuro extremo custa ao Estado cerca de 4000,00€/dia de internamento, de acordo com a informação veiculada no livro. Se multiplicar isto pelos 115 dias que a minha filha esteve internada, sei que nunca na vida irei descontar o suficiente para pagar aquilo que o SNS fez por ela.

E se, no meu caso, não foi possível aferir as causas da prematuridade e assim evitá-la, muitos casos existem que, se fossem devidamente acompanhados na fase de gestação, poderiam ter sido evitados.

 

Se tiverem oportunidade, leiam este pequeno livro. Nunca se sabe quando a prematuridade bate à vossa porta (ou de um familiar ou amigo) e, saber um pouco mais do processo será, certamente, uma ajuda preciosa nessa altura. 

 

14
Nov18

Hoje estou de luto

rosa_luto.jpg

O dia começou com a triste notícia da morte de um tio. Não daqueles tios afastados, que nunca vemos. Um daqueles que teve sempre uma vivência próxima, daqueles com quem foram feitos passeios de uma semana inteira, com quem foram vividos todos os natais, com quem se fizeram centenas de patuscadas, convívios, jantares, lanches. Daqueles cujos filhos sou muito próxima, com quem tenho uma relação quase de irmandade.

Aquele tio cuja filha vai fazer 40 anos dentro de 5 dias e que estava a preparar um grande jantar para festejar. E que nem sequer consigo imaginar como se sente neste momento.

Hoje estou de luto. 

 

13
Nov18

2018 Reading Challenge | Objetivo atingido

 

goodreads.JPG

Propus-me a ler 15 livros em 2018. 

Terminei anteontem (ou melhor, na madrugada de ontem) o 15º. Comecei ontem a ler o 16º.

Os "verdadeiros" leitores desta blogosfera rir-se-ão de mim, mas nesta minha vida atual, na minha disponibilidade e disposição para a leitura, considero este número notável (pese embora haja ali na lista uns 4 pequenos livros de leitura super rápida).

Conto conseguir ainda ler mais 2 ou 3 livros até ao final de dezembro, o que me colocará num patamar muito bom relativamente aos últimos anos.

 

Tenho de me lembrar, mais vezes, de como me sabe bem parar e mergulhar nas páginas de um livro e, assim, dedicar mais do meu tempo a esta atividade que tanto prazer me dá.

 

12
Nov18

...

Como em todas as noites, foi deitar a filha e com ela adormeceu. Há algo naquela pequena cama e no respirar da sua pequerrucha que a faz relaxar e simplesmente deixar o sono entrar.

Acordou pela meia noite e meia. Na verdade, havia entreacordado algures mais cedo mas mudara de posição e sucumbira novamente ao sono.

Levantou-se. O marido preparava-se para se deitar.

Foi arrumar a cozinha. A loiça das duas últimas refeições repousava ainda na banca e ela não quis deixar passar mais um dia assim. Enfiou tudo na máquina e pô-la a trabalhar.

De seguida, foi à lavandaria. Ainda havia roupa na máquina para estender e tratou de despachar também essa tarefa.

Olhou para o relógio. Era 1h da manhã, o sono estava espantado, o marido ressonava.

Sentou-se, no sofá na sala, a acabar de ler aquele livro que há já umas semanas lhe andava nas mãos. Faltavam poucas páginas e queria terminá-lo.

Eram duas da manhã quando se deitou na cama. O sono teimava em não vir, a cabeça a fervilhar com a história que acabara de ler, com a vida sem brilho...

Uma máxima vinha-lhe à cabeça: "Pais felizes, Crianças felizes". 

Conseguiria ela contribuir para a felicidade da filha, quando ela própria não se considerava feliz?

02
Nov18

Desafio 52 semanas | Semanas 43 e 44

20817683_bPD0p.jpeg

Semana 43: Músicas que eu não me canso de ouvir.

Há várias, mas as que me ocorrem de imediato são:

     This is the day, The The 

     Looking glass, The LA's

     Time after time, Cyndi Lauper

     Where is my mind, The Pixies (especialmente nesta versão de James Blunt)

     Love will tear us apart, Joy Division

Num registo um pouco mais alegre:

    Love is in the air, John Paul Young

 

Sim, eu sei, sou uma old soul

 

Semana 44: Os meus vilões preferidos são...

Ai, que difícil...

 Gru, o Maldisposto e o Grinch... é só do que me lembro... ahahah

 

 

Neste TAG participam para além de mim, a 3ª face, a Ana, a Catarina, o Carlos, a Carlota, a Charneca em Flor, a Daniela, a Desarrumada, o David, a Fátima, a Happy, a Hipster Chic, a Isabel, a Mãe A, a Mariana, a Maria Mocha, a Marquesa de Marvila, a Mimi, a Paula, o P.P, a Sweetener, a Sofia  e o Triptofano 

(nomes ordenados alfabeticamente)

Espreitem o que cada um de nós vai respondendo ao longo do ano também podem espreitar pelo tag  52 semanas

Pág. 2/2