Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Vida da Gorduchita

A Vida da Gorduchita

19
Ago13

Esta coisa dos fins de semana prolongados...

...dão cabo do ritmo a uma pessoa.

Refeições exageradas, mais preguiça, menos exercício é o balanço destes 4 dias sem horários e com mais tempo livre.

Na 4ª à noite jantar em casa de uma prima - muito pão acima de tudo! Exercício, nem vê-lo!
Na 5ª uns cachorros e umas batatas fritas para jantar! Tenho ideia que o almoço já não tinha sido grande coisa... Outro dia em que o exercício ficou apenas nos planos!
Na 6ª, jantar composto de frango com natas acompanhado com uma saladita. Uma caminhada com partes de corrida, num total de cerca de 3km, no final da tarde, foi o exercício do dia!
Sábado, piquenique no parque da cidade - pataniscas, muffins salgados e doces, pudim de atum, queijo, fiambre, batatas fritas, mais uma tarte de milho (deliciosa!). Ao final da tarde, pegamos nas bicicletas e demos uma volta de cerca de 11kms. Já foi bom! :)
Domingo, almoço de rodízio, seguido de lanche com bolo de aniversário e bola de carne, e mais tarde um jantar de petiscos (pizza, tostas com paté, uns enroladinhos de carne picada, uns croissants com compota...). De manhã, tinha feito uma caminhada de 4kms.

Hoje estou a fazer contenção e tentar reduzir os estragos. 
O pequeno almoço foi o habitual: uma taça de cereais integrais com "leite" de soja e umas bagas goji. 
A meio da manhã um punhado de frutos secos. 
O almoço uma sopa de brócolos (sem batata). 
Lanchei, até ao momento, uns quantos bocados de abacaxi e uma tosta integral. Lá para as 18h repito esta dose, para não chegar à hora de jantar cheia de fome! :)
Bebi já cerca de meio litro de chá verde e mais de um litro de água. E vou continuar a beber para ajudar a limpeza do organismo.

Não está nada fácil este percurso até ao objetivo que tracei. Ando a facilitar muito na alimentação, nem sei bem porquê...

Mas vou esforçar-me seriamente para voltar a entrar nos eixos. Não posso deixar-me iludir pelos resultados alcançados até aqui.
É sempre neste ponto que a coisa começa a inverter, que começo a vacilar, que deixo de me esforçar.
E desta vez não pode ser assim.