Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Vida da Gorduchita

A Vida da Gorduchita

29
Set17

V - Voltarei a ler

 alfabeto-literario.jpg

 

Não sou de reler livros. Não me lembro de reler um único livro. Há tantos livros que ainda não li que nunca me disponho a "gastar" tempo a ler algo que já li.

Mas, atendendo ao tempo que já passou desde que os li - mais de 20 anos -  e ao facto de não ter praticamente memórias deles, tenho alguma vontade de reler estes dois:

 

   "O fio da navalha", W. Somerset Maugham

   "Insustentável leveza do ser", Milan Kundera

 

Nota: Em 26 posts, eu, MagdaJustMaria João CovasSofia GonçalvesMulaAlexandraDrama QueenCaracolB♥Sandra.wink.winkPrincesa SofiaFátima BentoHappy e Carla B. respondemos a 26 perguntas sobre livros, tendo como mote o alfabeto. Às segundas, quartas e sextas, às 14h, não se esqueçam de cuscar as nossas respostas, em cada um dos blogs.

29
Set17

Poupança - Balanço mensal #9

Está terminado Setembro e com ele, fecha mais um trimestre. Faltam apenas 3 meses para o final do ano, um pouco menos que isso para o Natal. É um cliché mas é verdade: o tempo passa a voar.

 

Este mês, como previa, não foi um mês fácil. Com a despesa dupla Mensalidade da escola / Ama da S. sabíamos que as contas iam ser apertadas. Estivemos uma semana de férias, mas como ficamos por casa, não houve grande desvio nos gastos por causa disso.

Foi um mês em que refleti um pouco mais a cada compra que fazia, que evitei comprar algumas coisas, que fizemos imensas refeições em casa e em que levei muitas vezes marmita para o trabalho.

 

Primeiro:

Desafio das 52 semanas.  Não coloquei nem 1€ no frasco. Em boa verdade, ainda retirei de lá 50€. É hora de desistir deste método, este ano. Volto a tentá-lo em 2018.

O que não quer dizer que não lá coloque algum de lado entretanto e que me vá pôr a gastar o que lá tenho. Mais que não seja, é uma ajuda para as prendas de Natal! :)

 

Segundo:

Poupança global. Tendo em conta o ponto anterior, não é de admirar que a poupança este mês se tenha ficado pelos 4%. Muito fraco.

 
Terceiro:
Alimentação. As despesas em restauração foram bastante controladas este mês, tendo ficado em menos de 50,00€. 
Em supermercado gastei cerca de 130,00€ (mas há que juntar compras feitas com o cartão de crédito que se refletirão nas contas de Outubro).
 
Quarto:
Despesas não rotineiras.
30€ em presentes (um deles já para o Natal).
 
 
Outubro é mês de seguro do carro, seguro da mota e seguro de saúde da S. A juntar o que ficou em cartão de crédito, faz prever mais um mês de contas apertadas.
28
Set17

Para mais tarde recordar #39

Temos um carro cinzento e um carro azul claro. Neste último, temos uma cadeirinha para a S. cujo cinto é mais fácil de apertar que a do que está no cinzento. Por isso, a S. gosta mais de andar no azul, porque assim pode ser ela a apertar o seu próprio cinto.

Na 2ª e 3ªf, por razões várias, fui levá-la e buscá-la no cinzento. Ela fez pequenas birras em cada uma das tardes para lá entrar.

Ontem, fui levá-la no azul e claro, fui buscá-la no azul.

Quando chegamos as duas ao carro: 

    S. (tom de voz super feliz) - Vamos no azul?

    Eu - Sim, vamos.

    S. (tom mais amoroso do mundo) - Obrigada, mamã!

 

28
Set17

Dias de sorte

Passei o dia de ontem a magicar o que havia de fazer para o jantar. Completamente sem ideias e, acima de tudo, sem vontade nenhuma de cozinhar.

Passei o dia a pensar: "Que se lixe, hoje vamos jantar a qualquer lado"!

Ao fim da tarde, ia já a caminho de casa... liga-me o marido: "Olha, ligou-me o Diogo a convidar-nos para ir jantar a casa dele, que tem lá comida para nós!"

 

Quem tem bons vizinhos... 

27
Set17

U - Último livro que li

alfabeto-literario.jpg

 

"Vai e põe uma sentinela", de Harper Lee

 

Vai-e-Poe-Uma-Sentinela.jpg

 

 

Nota: Em 26 posts, eu, MagdaJustMaria João CovasSofia GonçalvesMulaAlexandraDrama QueenCaracolB♥Sandra.wink.winkPrincesa SofiaFátima BentoHappy e Carla B. respondemos a 26 perguntas sobre livros, tendo como mote o alfabeto. Às segundas, quartas e sextas, às 14h, não se esqueçam de cuscar as nossas respostas, em cada um dos blogs.

27
Set17

...

Nos últimos dias, sinto a S. mais tensa. Chora com mais facilidade, faz birras porque sim e porque não, faz disparates mesmo para chamar a atenção.

Associo isto à escola, aos novos ritmos, à nova vida que agora leva. E à sua dificuldade em conseguir expressar o que sente, em perceber o que se está a passar ao certo consigo e com a sua vida.

 

Mas tenho tido alguma dificuldade em lidar com a situação, em saber / conseguir ajudá-la.

Acho que está na hora de rever a matéria.

IMG_20170927_101749.jpg

 

26
Set17

A Escola da S. e dúvidas minhas

Quem acompanhou a saga da escolha do Jardim de Infância para a minha filha (aqui), percebeu que a nossa escolha, e na verdade toda a nossa procura, recaiu sobre uma opção dita alternativa.

 

No Jardim de Infância que escolhemos, e que tem também acompanhamento a miúdos inscritos no ensino doméstico, há diversas coisas que diferem das escolas e JI tradicionais.

Começa pelo facto de os miúdos não estarem segmentados por idades, mas em dois grandes grupos: o da pré e o do ensino básico (que vai, ali, dos 6 aos 12 anos).

O grupo onde a S. se insere tem miúdos de 3 (na verdade, alguns ainda com 2), 4 e 5 anos. A transição para o grupo do ensino básico é feita muito de acordo com o estado de desenvolvimento do miúdo, mais do que a idade verdadeiramente dita.

Esta mistura parece-me saudável, até porque o único sítio onde nos segmentam pela idade é na escola, e isso não faz qualquer sentido porque somos todos diferentes, cada um tem o seu ritmo, as suas competências fortes e as suas fraquezas... 

Mas há outras coisas que me agradam na escola que escolhemos: respeitam o ritmo da criança, seja no desfralde, seja na sesta, seja nas refeições. Vão avaliando, vão percebendo o estádio de cada um e vão trabalhando com eles em função disso. Se uma criança de 3 anos (como a S.) não quiser dormir, não dorme. Se uma de 4 ou 5 quiser dormir, pode fazê-lo sem problema.

 

No grupo do ensino básico há ainda mais questões: não seguem o programa exatamente como ele está definido pelo Ministério da Educação, embora, claro, preparem as crianças que precisam fazer os exames. Trabalham por projetos e para cada projeto definem as metas a atingir, seja em matemática, seja em português, seja em estudo do meio, ou outras componentes mais específicas. E não há TPC. Nem tabelas com notas.

Para mim, isto é uma coisa boa! Tudo continue a correr como até aqui, ali e no ensino público, e sei bem onde vou querer que a minha filha faça os seus estudos.

 

Mas percebi, na reunião de pais que tivemos na passada sexta-feira, que para alguns pais isto faz confusão. Não haver TPC. Não haver notas. Não haver exercícios para fazerem com os filhos em casa.

Porque querem, a toda a força, pôr os filhos a fazer fichas, inclusivé durante as férias. Mas como não há livros nem outros apoios, não sabem quais as metodologias que estão a ser seguidas na escola e querem saber para poder "treinar" com os filhos em casa.

Porque sem tabelas de notas não sabem como ele está a evoluir. Porque acham que os filhos têm de trabalhar mais em casa, mesmo que nada lhes indique que existe essa necessidade.

Se queriam TPC e tabelas com notas e mais não sei quê, por que inscreveram o filho naquela escola? Não é assim barata, até há uma escola do ensino básico mesmo do outro lado da rua... para que têm ali os filhos?

 

25
Set17

Não ficou tudo por fazer...

Apesar de ter ficado longe de fazer tudo o que pretendia (e seria preciso) durante a semana de férias, ainda assim, não foi uma semana perdida e fez-se alguma coisa.

 

#1 Como falei aqui, arrumamos os armários e camiseiros das nossas roupas. Fizemos destralhe, enchemos sacos de roupa, colocamos organizadores nas gavetas... Tudo ficou mais "clean". Adoro especialmente o resultado da arrumação do armário do marido e das minhas gavetas da roupa interior.

 

#2 Colocamos nova luminária na garagem. Ficou com aspecto mais bonito e com bastante mais luz.

 

#3 Retiramos a grade de proteção que tinhamos no corredor junto ao quarto da S. Já não é precisa (em boa verdade, pessoalmente, acho que nunca foi) e por isso, tratamos de a tirar. Sinto uma leveza a passar ali, agora. Ah... colocámo-la logo à venda no OLX e o negócio já está praticamente ultimado! 

 

#4 Fiz um filtro ao saco dos brinquedos da S. e retirei de lá uma série de pequenas coisas com as quais já há muito não brinca (além de uma série de itens estranhos que seguiram diretos para o lixo). Não as despachei, ainda, mas dentro de dias devem tomar novo rumo (juntamente com outros brinquedos retirados de cena há cerca de 1 mês).

 

#5 Fizemos faxina à casa. (a cada vez que tenho de o fazer, comprovo que devia ter nascido rica...)

 

#6 Compramos um toalheiro e um porta rolos para substituir a solução que temos atualmente numa das casas de banho. Ainda não os instalamos mas vou tentar que seja para breve!

Pág. 1/5