Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Vida da Gorduchita

A Vida da Gorduchita

31
Jan17

Noite completa

Hoje a S. dormiu a noite completa. Adormeceu pelas 21.30-21.45, acordou às 8h da manhã!
Já não me lembro quando foi a última vez que tal aconteceu. Já não me lembro quando foi a última noite em que ela não me chamou pelo menos uma vez a meio da noite, a chorar, pedindo colo.
Era tão bom se tal fosse um retomar de noites bem dormidas...
30
Jan17

Poupança - Balanço mensal #1

Há que assumir: este não foi um bom mês de poupança!
Por outro lado, e depois de analisar o registo dos gastos de Janeiro, para poupar muito mais, teria de fazer ajustes significativos no estilo de vida. E isso, assusta-me um bocado. 

Aqui fica a minha reflexão:

Primeiro
Desafio das 52 semanas. Como disse aqui, optei por uma versão aleatória, colocando valores sem ordem definida, assumindo a premissa de os cumprir todos.
Nestas primeiras 4 semanas, os valores foram estes:
     Semana 1: 15,00€
     Semana 2:   4,00€ 
     Semana 3: 10,00€
     Semana 4:   7,00€
            Total: 36,00€

Fica aquém do que pensei conseguir este mês, mas nada está perdido, além de que fui colocando o dinheiro no frasco, sem muita reflexão (tratou-se, na maioria das vezes, do valor que tinha na carteira quando me lembrava de cumprir o desafio).
Fevereiro terá de ser mais abonado!

Segundo:
Poupança global. Somando o valor acima, fiquei em 6% de poupança. Ou seja, de todo o dinheiro que gastei, apenas 6% foram para poupanças, o que é francamente pouco. É melhor que nada mas é pouco.
Tenho de  fazer subir esta percentagem para os 10%, pelo menos.

Terceiro:
Despesas não rotineiras. Em janeiro gastei quase 185,00€ que considerei como gastos extraordinários. Não significa que não fossem necessários (uns mais que outros, naturalmente), mas saem fora das despesas mensais habituais. Tenho de ter mais atenção a estes gastos, para não fugirem do meu controlo.
Tive também quase 115,00€ de despesas que considero como Pontuais, ou seja, aquelas que sendo previsíveis, não têm carácter mensal. É o caso de um seguro de saúde (pago trimestralmente) e a quota da Amnistia Internacional (anual).

Quarto:
Refeições. Almocei fora 7 vezes este mês, com um valor médio de cerca de 7€ por refeição - poderia ter poupado um pouco mais nesta categoria (mais marmitas, e refeições menos onerosas quando for fora). 


Penso que me está a faltar definir claramente orçamentos por categorias. Mas ainda não tenho dados suficientes para tal, por isso, vou manter-me pelos registos e controlo regular mais um ou dois meses.

Fevereiro é mês de rendimento extra que tentarei veicular grandemente para poupança (embora haja uns pneus do carro para trocar...). Logo vos digo como correu!

26
Jan17

7 pedaços gorduchitos

Hoje escrevo sobre mim. Inspirei-me aqui. Acho que nunca fiz posts desta natureza, mas às vezes é interessante debruçarmo-nos sobre nós mesmas.


1. Adoro Montanhas Russas. Há anos que não ponho os pés numa, até porque há anos que não vou a um parque de diversões, mas sou fã dos altos e baixos e das voltas de pernas para o ar. Tenho de voltar a uma em breve!

2. Sou (hiper) gulosa. Adoro doces. Adoro sobremesas. Por mim, comia sobremesas docinhas em todas as refeições. Costumo dizer que "não existe doce demais" (embora haja, de facto, um ou outro docito que passa das marcas).

3. Já fui ao Alaska. Não estive no Alaska "profundo" mas, ainda assim, Alaska e passei lá 5 dias fantásticos. As paisagens são de cortar a respiração. Os glaciares impressionam. Vimos um urso nas traseiras do hotel. Adorava lá voltar (embora haja pelo menos uma dúzia de locais ainda não visitados a que quero ir primeiro, antes de repetir este).

4. A minha cor preferida é o preto. Sem nunca ter tido um estilo gótico ou qualquer outro com nome próprio, houve fases da minha vida em que praticamente só me vestia de preto. Depois, com o tempo, fui acrescentando outras cores ao meu vestuário, como rosa, vermelho, e até um vestido amarelo. Mas ando com vontade de retornar ao preto, às cores escuras. Acho que me ficam bem e assim, também simplifico a tarefa do armário cápsula que quero implementar! 

5. Não gosto de cozinhar. Tento, por vezes, combater esta minha reduzida paixão pela cozinha com não-sei-quantos livros de receitas, a ver se me inspiram, mas o habitual é ficarem parados infinitamente nas estantes. Só cozinho porque tem mesmo de ser.

6. Não bebo bebidas alcoólicas. Faço exceção apenas a um bom espumante / champanhe. Passei toda a minha vida académica sem beber (salvo duas "honrosas" noites) e não me custou nada ir para a noite e divertir-me com os meus amigos sem a ajuda do álcool. 

7. Não bebo café. Porque não gosto do sabor. Não gosto de nada que leve café ou tenha sabor a café (gelados, sobremesas, rebuçados, chocolates... se tiverem café, não vai). Não bebo e não me faz falta nenhuma.

25
Jan17

Para mais tarde recordar #16

Ontem à noite, as duas deitadas na cama, já a meia luz..

S. (passando a mão no meu rosto) - Pronto, mamã, não fiques triste. Não fiques triste! (é uma frase habitual dela, sem que tenha necessariamente um enquadramento. Não sei de onde veio...)
Eu - Não, bebé, a mamã não está triste. Estou muito feliz por estar aqui contigo. E tu, estás feliz?
S. (rebolando-se) - Não, não estou feliz. Estou com sono.
25
Jan17

Serendipity



 

Ontem revi este filme:


Incrivelmente, nunca tinha visto o filme desde o início, e ontem, por acaso, apanhei-o a começar no AXN White. Fiquei a ver (rever). 
Não sendo a maior fã do estilo comédia romântica (este também não é exatamente uma comédia), gosto muito deste filme. Até porque gosto muito do John Cusak.

May our lifes be full of serendipity! :)
23
Jan17

Dinheiro a fugir

Sempre achei a nossa conta de eletricidade elevada. Quer dizer, sei que tenho tudo elétrico, não há nada a gás, o aquecimento / arrefecimento é feito com ar condicionado, temos termoacumulador para aquecer a água... mas mesmo assim, somos só 3 em casa e tento aproveitar ao máximo a tarifa bi-horária. Pagar valores médios de 120-140€/mês é muita massa.

Nos meses de Verão lá conseguimos baixar, à custa de desligar a resistência do termoacumulador e deixar os painéis solares fazerem o seu trabalho de aquecer a água, mas quem vive no Norte só consegue ter esta vantagem uns 3 meses do ano (4, em anos loucos).
Na minha cabeça, nem devia ser preciso desligar a resistência. O sistema devia ser inteligente o suficiente para gerir o trabalho dos painéis.

Mas na sexta-feira percebemos o porquê de tal não acontecer: algo está errado nos sensores de temperatura (tanto do termoacumulador como dos painéis) e põe o sistema a fazer circular água quente do termoacumulador para os painéis! Estão a ver o que isto significa nestes dias de inverno? Estávamos a aquecer água, à custa de muitos kilowatts, para aquecer os painéis! 
A água estava sempre a circular e a resistência sempre ligada, claro! Dinheiro a fugir, era o que era!!


Desligamos aquela porcaria (a ligação com os painéis).
Já falamos com um picheleiro/canalizador/instalador destes sistemas para ir lá a casa fazer uma revisão geral ao sistema.
Até lá, conto que os consumos baixem, ainda assim, só por ter aquilo desligado.
Neste mês já não se refletirá grandemente na fatura, porque faltam 3 ou 4 dias para fazer a leitura, mas espero ver resultados na fatura de Fevereiro!
23
Jan17

Podia dar-me para pior!

Pequenina adoentada + Tempo frio = Fim de semana inteiro "fechada" em casa

Resultado:
Fui para a cozinha e fiz um bolo de alfarroba (ficou tipo brownie, que eu pus-me a inventar com a receita) e umas bolachas de aveia, banana e côco.


Podia dar-me para pior.
Mas assim, também deu para distrair um pouco a S. que me ajudou a fazer as bolachitas. É que o tempo custa a passar quando estamos confinados às "quatro" paredes de casa!
19
Jan17

Incoerências da minha vida

Ontem foi aquele dia em que consegui e me dediquei a fazer a lista de tudo o que tenho na despensa e no frigorífico e no congelador, para poder planear as refeições até ao fim do mês, rentabilizando o stock (conforme disse aqui que ia fazer).

Ontem também foi aquele dia em que estava completamente sem vontade de cozinhar e aproveitando que a S. ficou em casa da avó, desafiei o marido para jantar fora e fomos.

Uma pessoa diz que quer poupar e depois vai jantar fora! Tá certo!

Pág. 1/3